sábado, 11 de setembro de 2010

DUBIEDADE

Dubiedade

Num quarto crescendo
num quarto minguando
num quarto escondendo
nem quarto nem canto
nem quando
desfolha a mágoa
destoa o encanto
descansa o cansaço
na pedra da rua
nem quarto de casa
nem quarto de lua
só sua
só pensa
relembra, repensa
memória sem falha
esmigalha
uma côdea de pão
entre os dedos
tão nus...
entre imaginação
e um buraco no chão.

Tânia Martins – velas.

2 comentários:

  1. Olá Tânia!
    seu blog está lindo e mais ainda com estas palavras que enfeitiçam os olhos de quem visita esta página!
    não tem como seguir seu blog?
    estou indicando seu blog lá no meu..
    fica com Deus!

    ResponderExcluir
  2. Olá Tania,poema lindo e forte, adorei e ja sou fã. O blog,as fotos tudo muito bacana.

    bj grande.

    ResponderExcluir